Região Serrana retoma o crescimento econômico

Data 02/01/2012 08:41:16 | Assunto: Diário Oficial

Empresas receberão mais de R$400 milhões para recuperar a capacidade produtiva. A intermediação para a concessão da linha especial de crédito foi uma das iniciativas imediatas do Estado.



 


Abalada pelas chuvas que atingiram sete cidades no início de 2011, a economia da Região Serrana recuperou a capacidade produtiva ao longo do ano graças à conjugação de esforços do poder público, de empresários e trabalhadores. O Governo do Estado agiu imediatamente e intermediou a abertura de uma linha de crédito destinada às empresas pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), no valor de R$400 milhões. Para completar o processo de retomada do crescimento em 2012, mais de R$400 milhões já estão disponíveis para que os empresários financiem a compra de equipamentos e invistam em instalações.

- São empréstimos em condições favoráveis e com muito menos burocracia. O programa foi desenvolvido logo após as chuvas e obteve o melhor resultado do Brasil, tanto que o dinheiro se esgotou rapidamente - afirmou o secretário de Desenvolvimento Econômico, Julio Bueno.

A secretaria também intensificou o trabalho de coordenação junto aos Arranjos Produtivos Locais de moda íntima, metal-mecânico e material elétrico e de turismo e entretenimento, os três principais setores econômicos da região.

O polo de moda íntima de Nova Friburgo é uma das áreas que teve a força econômica retomada. Fatura cerca de R$600 milhões por ano e possui 954 fábricas legalizadas, que empregam mais de 10,5 mil pessoas diretamente. Responsável por 25% da produção nacional, fabrica um total de 114 milhões de peças por ano.





Ações do Estado asseguram desenvolvimento

O ex-presidente do Sindicato da Indústria do Vestuário de Nova Friburgo, Paulo de Chelles, disse que as ações do governo estadual foram decisivas para a retomada das atividades no polo de moda íntima.

- Encontramos na solidariedade do Estado o respaldo necessário. A tragédia aproximou empresas e governo, o que tem sido muito importante para que possamos dar a volta por cima - afirmou.

O setor metal-mecânico também recuperou o fôlego com iniciativas como a dilatação dos prazos para pagamento de tributos estaduais e federais e a concessão de crédito.

- A ação rápida e decisiva do governo, que atuou em parceria e ouviu o setor empresarial quanto às suas necessidades, fez com que a economia pudesse se recuperar mais rapidamente - disse Claudio Tangari, presidente do Sindicato das Indústrias Metal-Mecânicas de Nova Friburgo.

A organização de rodadas de negócios e o apoio ao artesanato, outra atividade muito forte da Região Serrana, impulsionaram as microempresas locais.





Esta notícia foi publicada na Imprensa Oficial do Estado do Rio de Janeiro
http://www.ioerj.com.br/portal

Endereço desta notícia:
http://www.ioerj.com.br/portal/modules/news/article.php?storyid=673