Pesquisa desenvolve carne de rã desidratada

Data 18/05/2016 09:56:51 | Assunto: Diário Oficial

Carne do dorso e da coxa da rã é utilizada para o estudo. Em estufas, o processo de desidratação é feito a 45º C e cuidadosamente analisado.




Pesquisadores da Fiperj (Fundação Instituto de Pesca do Estado do Rio de Janeiro) desenvolvem pesquisa inédita com a carne do dorso de rã. A ideia é criar uma sopa instantânea desidratada e balanceada para utilização em dietas especiais de crianças alérgicas, idosos com osteoporose, entre outros grupos.

O projeto é financiado pelo Governo do Estado, por meio da Faperj (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro).

Além da excelente qualidade nutricional, a carne de rã tem adequado balanceamento de aminoácidos e baixo percentual de lipídeos. Ela é utilizada na dieta de pessoas com problemas do trato gastrointestinal e cardiovasculares, além de atletas. Em formato desidratado, o período de conservação útil do alimento é prolongado. Outro benefício é a diminuição do teor de água do pescado, facilitando o transporte e o armazenamento.

- Estamos desidratando em estufa a 45º C a carne de dorso e da coxa da rã, ambas desossadas manualmente. As amostras estão sendo submetidas à análise de umidade para atender o limite máximo de 5% da regulamentação nacional e 10% da internacional - disse a pesquisadora da Fiperj, Sílvia Mello.

Leia a notícia no Diário Oficial.





Esta notícia foi publicada na Imprensa Oficial do Estado do Rio de Janeiro
http://www.ioerj.com.br/portal

Endereço desta notícia:
http://www.ioerj.com.br/portal/modules/news/article.php?storyid=6618