Logotipo IOERJPágina Principal
quarta, 30 de setembro de 2020
Entrar
Usuário:

Senha:

Lembrar-se



Esqueceu a senha?

Notícias
Imprensa Oficial : Governador acompanha primeiro dia de aplicação do carvão ativado
em 24/01/2020 10:24:33 (188 leituras)


Philippe Lima

 

 

O governador Wilson Witzel realizou, nesta quinta-feira (23/01), uma visita técnica à Estação de Tratamento de Água (ETA) do Guandu para acompanhar o primeiro dia da aplicação do carvão ativado pulverizado na água tratada. Após realizar testes na quarta-feira (22/01), a  Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro (Cedae) passou a lançar uma tonelada por hora do material diretamente no início do processo de tratamento. A ETA Guandu atende os municípios de Nilópolis, Nova Iguaçu, Duque de Caxias, Belford Roxo, São João de Meriti, Itaguaí, Queimados e ainda, a cidade do Rio de Janeiro, sendo responsável pelo abastecimento de água para 9 milhões de pessoas.

 

- A Cedae investiu R$ 1,5 milhão na compra do equipamento de carvão ativado, mesmo material que outras empresas de captação de água utilizam para a remoção de substâncias. O Estado do Rio de Janeiro fará investimentos na ETA do Guandu na ordem de R$ 700 milhões até 2022, sendo que cerca de R$ 120 milhões somente neste ano de 2020, para a modernização da estação de tratamento, com novas tubulações e novos equipamentos laboratorial e de controle, entre outros - disse o governador.

 

Witzel ressaltou, ainda, que faltaram investimentos por parte das gestões anteriores no sistema de tratamento de água e esgoto fluminense.

 

 - Recebemos uma empresa que não teve investimentos que deveriam ter sido realizados quando esse problema da geosmina já ocorrera em outras ocasiões. Foram pelo menos duas vezes, a última em 2004. É um problema que poderia se repetir porque é previsível. Porém, o impacto é grande, com desconforto à população. A água da Cedae nunca esteve imprópria para o consumo. Mas não estava insípida e inodora. O carvão ativado já deveria estar disponível aqui. Todas as empresas que trabalham com o mesmo sistema da Cedae, que não é de captação de água corrente, têm os instrumentos para a aplicação do material. Então, houve uma falha. Vamos investigar e descobrir a razão da proliferação de notícias ruins sobre a Cedae – afirmou Wilson Witzel.

 

Mais investimentos

 

Além da modernização da ETA Guandu, o Estado prevê a construção da estação Guandu 2, no início do ponto de captação da água, no Rio Guandu, em um espaço localizado a 3,25 km do atual. De acordo com o governador, o investimento, orçado em R$ 1,5 bilhão, seria uma garantia aos investidores interessados no leilão da concessão da Cedae, em 2020, de que não haverá falta no fornecimento de água.

 

- Vamos fazer uma reunião com os prefeitos das quatro áreas de concessão no próximo dia 12 de fevereiro. Acredito que teremos a presença dos 64 municípios para que tenhamos um acordo para que esse leilão ocorra este ano. Vamos fazer nesses quatros anos o que não foi feito nas últimas décadas – detalhou Witzel.

 

Outra medida que deve ser tomada pelo Governo do Rio é a transposição dos rios que deságuam no ponto de captação da ETA do Guandu. De acordo com o governador, esta obra já poderia ter sido iniciada.

 

- Estamos apurando o porquê da obra não ter sido realizada antes. Agora, independentemente da apuração, nós vamos realizar a transposição para a proteção da tomada de água da ETA Guandu, dentro do investimento que foi aprovado ontem pelo Conselho de Administração da Cedae e são recursos próprios da companhia. A obra será iniciada e, por se tratar de uma empresa pública, depende de processos de licitação. Mas ela é fundamental para que não tenhamos nenhum tipo de problema nos próximos cinco anos – explicou Witzel.

 

 O governador disse, ainda, que a concessão viabilizará investimentos de R$ 32 bilhões no longo prazo para resolver o problema do abastecimento de água e tratamento de esgoto.

 

- É uma forma de dar dignidade às pessoas – finalizou Witzel.

 

Acompanharam o governador na visita à ETA do Guandu o chefe da estação de tratamento, Pedro Ortolano; o presidente da Agência Reguladora de Energia e Saneamento Básico do Estado do Rio (Agenersa), Luigi Troisi; o diretor de Grandes Operações e Saneamento da Cedae, Carlos Braz; o presidente da companhia, Hélio Cabral; e o secretário de Governo, Cleiton Rodrigues.

Imprimir