Logotipo IOERJPágina Principal
terça, 29 de setembro de 2020
Entrar
Usuário:

Senha:

Lembrar-se



Esqueceu a senha?

Notícias
Diário Oficial : Atlas Solar estimula a economia fluminense
em 23/05/2017 09:34:38 (470 leituras)


 

A tendência mundial de utilizar energia renovável, por questões econômicas e ambientais, já é realidade no Estado do Rio. As ensolaradas regiões fluminenses contam com um minucioso Atlas que indica os dados de incidência solar em todos os municípios fluminenses, o que deverá aumentar o número de residências e empresas que vão aderir à instalação de placas fotovoltaicas para captar energia do sol e, assim, economizar na conta de luz. Outro benefício para o estado é o fomento de instalação de indústrias de equipamentos para esse mercado, por meio de incentivos fiscais, gerando, assim, empregos.

A inciativa do Estado contou com a parceria da EDF Norte Fluminense, da PUC-Rio e da EGPE-energia. Foram necessários quatro anos, entre coleta de dados e análise, até se chegar ao formato final do Atlas Solar. Os especialistas utilizaram estações já existentes e outras foram instaladas para esse estudo.

– O Atlas é o início, uma projeção quanto à potencialidade do uso dessa fonte de energia em casas, telhados de prédios, ou seja, aguça a curiosidade. Essa indústria é importante, pois trata do uso de uma fonte de energia mais limpa, contribuindo para a redução da emissão de gases de efeito estufa, além da geração de empregos e estímulo ao crescimento sustentável da economia do Rio de Janeiro.

Para a indústria, o Atlas já demonstra, com dados sólidos, as melhores áreas para a instalação de usinas fotovoltaicas. Outro reflexo é o aumento da procura por painéis e placas fotovoltaicas, o que torna o mercado fluminense mais atrativo para indústrias do gênero – disse o secretário da Casa Civil e Desenvolvimento Econômico, Christino Áureo.

No setor de serviços, é uma oportunidade para os profissionais que podem ser contratados para avaliarem as possibilidades de instalações, esclarecem que tipo de painéis se adequam mais ao projeto e ainda servem como intermediários junto à concessionária de energia da cidade. 

Desde 2012, qualquer brasileiro que esteja disposto a fazer o investimento pode conectar à rede elétrica um micro ou minigerador fotovoltaico e receber créditos na conta de luz pela energia excedente produzida. No Rio de Janeiro, as áreas com o maior potencial para produção de energia solar são o Norte Fluminense, parte da Região dos Lagos e o litoral Sul.

– O primeiro passo é contratar profissionais para uma avaliação quanto à viabilidade do local almejado e a possibilidade de instalação junto à concessionária. Estimativas indicam uma economia mínima de 40%, podendo chegar até a 70%. É bom lembrar que a proximidade do mar exige uma atenção quanto à limpeza dos vidros sobrepostos às células, para não reduzir a captação da radiação solar; assim como os suportes de alumínio, quanto à corrosão  – explicou o subsecretário de Desenvolvimento Econômico, Alberto Mofati.

Em agosto de 2016, foi lançado o Mapa Solar da Cidade, em parceria com a Prefeitura do Rio de Janeiro. O estudo mapeou 1,5 milhão de telhados. O estádio do Maracanã já está equipado com o novo sistema de geração de energia. Há outros dois importantes projetos em andamento: na Biblioteca Parque, no Centro do Rio, e o prédio do Cefet, próximo ao Maracanã. São iniciativas para implantar a eficiência energética em órgãos públicos e também para, no caso do Cefet, auxiliar no ensino técnico sobre fotovoltaica.

Conheça mais sobre o atlas do Estado do Rio de Janeiro em www.atlasriosolar.com.br e da capital em http://mapasolar.rio.

Leia a notícia no Diário Oficial.

Imprimir