Logotipo IOERJPágina Principal
quinta, 1 de outubro de 2020
Entrar
Usuário:

Senha:

Lembrar-se



Esqueceu a senha?

Notícias
Diário Oficial : Estudantes da rede estadual realizam intercâmbios
em 16/03/2017 09:19:11 (438 leituras)


 

A Secretaria de Educação começou a implantar, em 2014, o modelo de colégios estaduais interculturais – unidades que, além do Ensino Médio regular, focam na proficiência de uma língua estrangeira. Hoje, a Região Metropolitana tem cinco unidades, que contemplam os seguintes idiomas: Espanhol, Inglês, Francês, Mandarim e Turco. Os alunos aprendem sobre a cultura de outro país e ainda podem ter a oportunidade de fazer intercâmbios. Alguns exemplos mostram como essa metodologia educacional é capaz de derrubar barreiras linguísticas e socioculturais.

Com 18 anos, Alana Raquel da Silva Lino foi uma das selecionadas para conhecer a França e conviver com alunos locais, no início deste ano. Estudante do Ciep 449 – Governador Leonel de Moura Brizola – Intercultural Brasil-França, em Niterói, ela obteve a premiação por ter tirado a melhor nota na prova de proficiência em nível avançado. A unidade escolar funciona por meio de convênio entre o Estado e a Académie de Créteil, com apoio do Consulado Geral da França no Rio de Janeiro.

– O prêmio foi o ápice! Como tudo sempre foi difícil para mim, me dediquei para fazer valer a pena o esforço de todos os dias me deslocar entre Curicica e Niterói: de ida e volta gastava, em média, 5 horas e meia. Além disso, minha mãe me criou com muito sacrifício. Pela minha origem humilde, nunca tive esperança de que um dia conheceria outro país – contou Alana.

Professores

O intercâmbio contemplou outros 20 alunos da mesma escola, mais três professores (dois de Francês e um de Artes) e a diretora do Ciep. A partir da experiência em Paris, Noisy-Le-Grand e Gagny, o grupo produziu um documentário audiovisual. Foram duas semanas intensas de aprendizado, sendo uma delas com a família tutora e outra em alojamento disponibilizado em um colégio.

Alana, que ficou encantada especialmente com a Cidade Luz, terminou o Ensino Médio e está à procura de emprego – de preferência onde possa usar seus conhecimentos de língua estrangeira. Enquanto isso, faz cursos preparatórios para ingressar na universidade, para fazer Letras – Português-Francês.

Escolas ajudam alunos a conquistarem bolsas de estudo



As viagens de quatro horas entre Belford Roxo, onde mora, e Macaé, para as etapas de seleção de um intercâmbio nos Estados Unidos, não desanimaram Lucas Martins Carvalho, que concluiu o Ensino Médio em dezembro, no Ciep 117 – Carlos Drummond de Andrade – Intercultural Brasil-Estados Unidos, em Nova Iguaçu. A viagem que viria a seguir valia todo o esforço: ele ganhou a tão sonhada bolsa de estudos Global Citizens of Tomorrow (Cidadãos Globais do Amanhã) para estudar na New Trier Township High School, na região de Winnetka, em Chicago.

Na escola norte-americana, ele cursou um ano do Ensino Médio, entre agosto de 2015 e agosto de 2016. Lucas foi o único selecionado entre estudantes do Rio de Janeiro, de Minas Gerais e do Espírito Santo.

– O que vivi em Chicago me mostrou a importância de se ter uma comunidade unida para provocar mudanças pacíficas. Hoje, além da bagagem cultural e da habilidade de reconhecer as diferenças em cada cultura, encontrei uma motivação: despertar em outros jovens a vontade por mudança – afirmou Lucas Carvalho.

Quando soube que ia inaugurar uma escola bilíngue na Baixada Fluminense, Lucas ainda não imaginava que ali seria sua grande chance de transformação. No colégio, que é fruto de convênio entre a Secretaria de Educação e a Superintendência de Escolas Públicas do Condado de Prince George, com o apoio da Embaixada dos Estados Unidos, o inglês se tornou uma ferramenta para ver sob nova perspectiva os potenciais de sua comunidade e dos estudantes da rede pública, além de enxergar na Educação o caminho para mudanças sociais.

– Estudar em uma escola bilíngue é aprender estando imerso em dois mundos ao mesmo tempo – disse Lucas.

Conexão Brasil-China

Em setembro do ano passado, 19 alunos do Colégio Estadual Matemático Joaquim Gomes de Sousa – Intercultural Brasil-China, em Niterói, participaram do evento Summer Camp, na China. Eles realizaram atividades esportivas e culturais nas cidades de Baoding, Beijing e Shijiazhuang. O intercâmbio, que durou 15 dias, aconteceu por meio de parceria entre a escola, o Instituto Confucius, a PUC-Rio e a Universidade de Hebei.

Os alunos que viajaram fazem parte do time de futebol da unidade, e foram selecionados após passarem por entrevista e prova de proficiência em Mandarim. Os professores Diogo Pinheiro, de Inglês, e Joseni Cabral, de Educação Física, acompanharam o grupo.

Leia a notícia no Diário Oficial.

Imprimir