Logotipo IOERJPágina Principal
quinta, 1 de outubro de 2020
Entrar
Usuário:

Senha:

Lembrar-se



Esqueceu a senha?

Notícias
Diário Oficial : Ações comemoram o Dia Internacional da Mulher
em 08/03/2017 09:15:10 (450 leituras)


 

Hoje, Dia Internacional da Mulher, o Governo do Estado – por meio de secretarias e órgãos estaduais – inicia uma série de ações em homenagem ao público feminino, que se estende por todo o mês de março.

A Subsecretaria de Políticas para as Mulheres, da Secretaria de Ciência, Tecnologia, Inovação e Desenvolvimento Social, lança hoje, no Terminal BRT Alvorada, na Barra da Tijuca, uma campanha contra o assédio à mulher. O Ônibus Lilás vai percorrer diversos bairros da cidade do Rio e do estado durante este mês. Uma equipe multidisciplinar, composta por psicóloga, assistente social e advogada, prestará atendimento na unidade itinerante.

A Casa Abrigo Lar da Mulher, do RioSolidario, também tem programação ao longo do mês, com diversas ações como grupo pedagógico, informativo e reflexivo, dia da beleza e momento família. A programação será encerrada com uma festa pelos 10 anos da casa.

Criada em março de 2007, pelo RioSolidario, para dar assistências psicológica, social e jurídica às vítimas de violência doméstica e seus familiares, a Casa Abrigo Lar atendeu 1.801 pessoas ao longo desses 10 anos, sendo 688 mulheres e 1.113 crianças.

– Apesar da Casa Abrigo desenvolver um importante trabalho de resgate das vítimas de violência, o ideal seria que não fosse necessário a existência de um espaço com esta finalidade. Aqui, trabalhamos o eixo do empoderamento destas mulheres, através de seus reconhecimentos como cidadãs, para que elas se sintam fortes para traçar um novo caminho fora do ciclo de violência – explicou a diretora do RioSolidario, Liliana Pinelli.

O Lar da Mulher funciona 24 horas, em local sigiloso no Rio de Janeiro, e serve como residência temporária de até seis meses. O local tem capacidade para abrigar 60 pessoas, entre mulheres e crianças.

Lei do feminicídio pune a violência doméstica



Os registros de ocorrência de homicídios contra mulheres, lavrados pela Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro, passaram a ter o subtítulo feminicídio no ano passado. A lei, que entrou em vigor no dia 13 de novembro de 2016, é considerada uma ferramenta importante para punir a violência contra a mulher ao facilitar a reunião de dados referentes a estes crimes em território fluminense.

A partir de então, as informações sobre o número de ocorrências decorrentes do feminicídio deverão constar no banco de dados divulgado regularmente pelo Instituto de Segurança Pública (ISP).

Parcerias

Diversas ações realizadas pelo Estado ou com parceiros buscam dar auxílio às mulheres que sofrem ou já sofreram violência doméstica e que, em muitos casos, correm o risco de serem mortas por seus companheiros ou namorados. O Governo do Estado conta com uma equipe disciplinar itinerante composta por psicólogo, assistente social e advogado, que atende mulheres que buscam tirar dúvidas sobre a Lei Maria da Penha e medidas preventivas.

Em 2015, foi implementado outro importante instrumento para auxiliar na luta contra a violência doméstica: o programa Via Lilás. Desenvolvido em parceria com o Banco Mundial, SuperVia, Secretaria de Transportes e RioSolidario, o projeto conta com  93 totens interativos. Com eles, as mulheres que usam diariamente os trens do Rio podem ter acesso a informações importantes sobre violência doméstica.

Leia a notícia no Diário Oficial.

Imprimir