Logotipo IOERJPágina Principal
sexta, 18 de setembro de 2020
Entrar
Usuário:

Senha:

Lembrar-se



Esqueceu a senha?

Notícias
Diário Oficial : Concurso da Defensoria Pública tem cota para negros e indígenas
em 26/01/2012 15:30:00 (1698 leituras)


A Defensoria Pública do Rio de Janeiro realiza em março concurso com 20% das 27 vagas para defensor público destinados a negros e índios. Esta será a primeira seleção estadual a atender a Lei nº 6067/2011, sancionada em outubro de 2011 pelo governador Sérgio Cabral, que garante a porcentagem de vagas para cargos efetivos e empregos públicos do Poder Executivo a pessoas dessas etnias.

Se aprovados, candidatos que se autodeclararem negros ou indígenas terão vantagem em eventual empate ou se o número de aprovados exceder o de vagas.

- O governo está dando um recado ao estado e ao País de que as políticas públicas precisam ser revistas. Há 200 anos, com a abolição da escravatura, os negros foram jogados à própria sorte, e já passamos da hora de reparar essa distorção - afirmou o defensor público geral do Estado, Nilson Bruno.

No Brasil, apenas 2% dos defensores são negros

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 51% da população brasileira é afrodescendente. Mas o número de defensores públicos chega a apenas 2%. No Rio, dos 773 defensores cerca de 1,5% pertence à etnia.

Filho de negros e de família humilde, Nilson Bruno, que integra a Defensoria desde 1998, acredita que a adoção de cotas em concursos públicos ajudará a diminuir o preconceito.

- Estudei em colégio público e faculdade particular, mas tinha que juntar dinheiro por dois meses para pagar cada mensalidade. Só eu sei o que passei para me tornar defensor público, mas não dá pra exigir que todo negro carente faça esse sacrifício. Sou muito feliz e me sinto honrado em ser o único secretário de Estado negro e poder abrir as portas para essa mudança histórica - disse Nilson.

Imprimir