Logotipo IOERJPágina Principal
quinta, 1 de outubro de 2020
Entrar
Usuário:

Senha:

Lembrar-se



Esqueceu a senha?

Notícias
Diário Oficial : Série Minuto Olímpico - Simone Idalgo – Orientadora educacional
em 21/07/2016 09:19:27 (381 leituras)




Servidora que vai conduzir a Tocha Olímpica em São João de Meriti, a orientadora educacional da rede estadual de ensino, Simone Idalgo, 40 anos, formada em Educação Física, sempre teve um olhar diferenciado sobre a questão da deficiência. Tem orgulho do seu trabalho na escola em prol da inclusão de meninos e meninas com algum tipo de limitação. Não foi por acaso que o tema entrou na sua vida. Desde cedo, dentro de sua casa, conviveu com o irmão que não podia andar e sempre o ajudou nas atividades diárias.

Como começou a trabalhar com a reabilitação?

Já trabalhei com reabilitação em academias e estou há 11 anos no Ciep 169, em São João de Meriti. Comecei como  professora de Educação Física e, atualmente, trabalho como orientadora educacional. Sou casada, tenho um filho de 14 anos e nasci no Rio de Janeiro. Tenho dado atenção a todos os meus alunos, mas busco incentivar aqueles que têm algum tipo de limitação a enfrentarem os desafios da vida. Temos que desmistificar a noção de incapaz.

Qual é o primeiro passo para interagir com alunos com deficiência?

É preciso incluir estas pessoas. Destaco o meu trabalho com Michel, um menino que tinha paralisia unilateral. Sentia que ele ficava muito triste por não conseguir participar das aulas. Comecei meu trabalho ao criar um elo de confiança, para introduzi-lo na prática esportiva. Michel caminhava, alongava e participava de situações de jogo de acordo com as possibilidades dele. Hoje faz cursos e está inserido na sociedade.

Seu irmão é um exemplo de vida para você?

Percebia uma força muito grande em meu irmão.  Desde novo, por problemas no parto, ele deixou de andar. Esta garra que ele tinha sempre foi um exemplo para todos. Minha mãe nunca olhou meu irmão como um incapaz, como um “coitadinho”, ele foi sempre muito independente. Falo sempre para os meus alunos que é preciso ter sonhos e muita perseverança para alcançá-los.  Com os atletas é assim. Todos somos capazes dentro de nossas limitações.

Por que se inscreveu para participar da campanha Servidores que Valem Ouro?

Queria contar a minha história e registrar o trabalho que nossa escola realiza.

Qual é a expectativa em relação à condução da tocha?

Vou fazer parte de um evento grandioso e estou ansiosa por este momento. É um misto de alegria e nervosismo. Uma confusão de sentimentos. Está chegando a hora! Será lindo.

Leia a notícia no Diário Oficial.

Imprimir