Logotipo IOERJPágina Principal
quinta, 1 de outubro de 2020
Entrar
Usuário:

Senha:

Lembrar-se



Esqueceu a senha?

Notícias
Diário Oficial : Rio terá Centro Integrado de Saúde para os Jogos
em 13/07/2016 09:21:01 (449 leituras)




O Rio de Janeiro ganhou, ontem, o Centro Integrado de Operações Conjuntas da Saúde (Ciocs), que vai monitorar, 24 horas por dia, as ocorrências que envolvam atletas, delegações e espectadores dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos. Outros cinco centros serão instalados em Brasília, São Paulo, Belo Horizonte, Salvador e Manaus, que também receberão competições. Em parceria com os estados e municípios envolvidos, uma equipe de 125 profissionais do Ministério da Saúde vai atuar exclusivamente na coordenação do trabalho.

O Ciocs fluminense ficará no Centro de Operações Rio (COR), da Prefeitura, e começará a funcionar plenamente no dia 29 deste mês até 26 de setembro, após os Jogos Paralímpicos. No local, será feito o monitoramento de situações de risco, da demanda por atendimento, da vigilância epidemiológica e sanitária, além da coordenação de respostas diante de emergências em saúde pública.

– O país tomou as providências para que os Jogos Olímpicos sejam realizados de forma tranquila e segura para brasileiros e turistas durante as competições. O Ciocs serve justamente para que a vigilância em saúde seja a mais eficaz e que possamos estar prontos para atender a qualquer ocorrência o mais rápido possível – afirmou o ministro da Saúde, Ricardo Barros.

Atendimento modelo

O modelo de monitoramento já é utilizado no Brasil desde 2011 e foi ativado na Copa do Mundo e na Jornada Mundial da Juventude.  A expectativa é de que, durante todo o período dos Jogos, sejam feitos cerca de 20 mil atendimentos e 700 remoções.

Estado conclui planejamento

Dentro do perímetro de segurança das arenas, os serviços médicos serão prestados pela Rio 2016, que vai oferecer atendimento externo particular a atletas e delegações. Os espectadores que precisarem de remoção dos locais de competição serão atendidos nos hospitais do Sistema Único de Saúde (SUS). No estado, as remoções serão feitas por meio da Central de Regulação Unificada do Rio, que vai usar ambulâncias doadas pelo ministério.

A expectativa é de que mais de 90% dos atendimentos nas áreas de competição sejam resolvidos no próprio local. Fora das arenas, os pacientes serão encaminhados para Unidades Básicas de Saúde (UBS), Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e hospitais do SUS. Para casos de emergência com múltiplas vítimas, somente no município do Rio, foram disponibilizados 235 leitos de retaguarda, sendo 135 federais, 50 municipais e 50 estaduais.

– As equipes que trabalharão ao longo dos Jogos, já estão preparadas para o evento – afirmou o secretário de Saúde, Luiz Antônio Teixeira Jr.

Leia a notícia no Diário Oficial.

Imprimir