Logotipo IOERJPágina Principal
sexta, 15 de novembro de 2019
Entrar
Usuário:

Senha:

Lembrar-se



Esqueceu a senha?

Notícias
Diário Oficial : Alunos da Faetec conquistam o primeiro emprego
em 25/05/2016 09:35:03 (1090 leituras)




Aos 35 anos, Argicilan Sócrates dos Anjos comemora o primeiro emprego como auxiliar de escritório da Cedae (Companhia Estadual de Águas e Esgotos). Com Síndrome de Down, ele é um dos dez alunos da Favo de Mel que participa do programa Jovem Aprendiz, em parceria com o RioSolidario. Vinculada à Faetec (Fundação de Apoio à Escola Técnica), a unidade é o único colégio de qualificação profissional do país dedicado a pessoas com deficiência intelectual.

– Minha vida melhorou muito desde que comecei a trabalhar porque consigo fazer as minhas coisas sozinho, ajudar minha mãe e meu padrasto em casa. Com meu salário, comprei um guarda-roupas, uma cadeira para o meu computador e fui ao teatro com minha mãe e meu amigo Johnny (da Costa, também aluno da Faetec) -–disse Argicilan.

A maioria dos Jovens Aprendizes da Favo de Mel usou os R$ 800 mensais de remuneração para comprar celulares, roupas e calçados. Desde outubro do ano passado, eles atuam na área administrativa como auxiliares de escritório ou de serviços gerais na Cedae. Com idades entre 20 e 35 anos, falam com orgulho sobre algumas funções que exercem: tiram xerox, entregam documentos e atendem ligações.

– No começo, não sabia fazer nada, mas fui aprendendo aos poucos, fiz amigos e agora já sei entregar os documentos sozinho no prédio. Estou torcendo para ficar na Cedae quando o estágio acabar, mas, se precisar, eu saio para dar a vaga para outra pessoa – disse Claudio Felipe de Almeida, de 25 anos, que tem deficiência intelectual.

Autonomia

O programa de estágio termina em março do próximo ano. Diretora do RioSolidario, Liliana Pinelli explicou que os alunos da Favo de Mel trabalham 4 horas por dia, exceto às terças-feiras, quando estão no CIEE/Rio para atividades teóricas. Além do salário mensal, recebem auxílio-refeição, seguro de vida, FGTS, férias, 13º salário e contagem de tempo de serviço para o INSS. A Cedae também disponibiliza uma van para transportá-los da escola, em Quintino, para a empresa, no Centro.

A conquista de um emprego ajuda a dar autonomia à pessoa com deficiência. É uma oportunidade para que esses jovens se desenvolvam e se tornem independentes financeira e emocionalmente. Nosso objetivo é também conscientizar governos, empresas e população sobre a importância da autonomia à pessoa com deficiência, buscando ações e comportamentos em uma sociedade mais inclusiva – afirmou Liliana.

Leia a notícia no Diário Oficial.

Imprimir