Logotipo IOERJPágina Principal
sexta, 20 de setembro de 2019
Entrar
Usuário:

Senha:

Lembrar-se



Esqueceu a senha?

Cadastre-se agora.
Notícias
Imprensa Oficial : No D.O. Notícias de hoje: Um caminho de transformação na vida dos cidadãos do Rio de Janeiro
em 14/03/2011 09:20:00 (2619 leituras)


Shana ReisA realização dos Jogos Olímpicos de 2016 na cidade do Rio de Janeiro deixará um importante legado não só para a capital, mas para toda a população fluminense, e também para o Brasil. Para o secretário-chefe de Estado da Casa Civil, Regis Fichtner, membro do Comitê de Coordenação da Rio 2016, os jogos representam a autoafirmação do país no cenário internacional e precisam transformar a vida dos cidadãos do Rio de Janeiro. Fichtner afirma que o Governo do Estado vai investir nos próximos anos, em recursos próprios, cerca de R$ 15 bilhões para realizar as Olimpíadas. Segundo ele, ainda no dossiê de candidatura, o Estado elencou projetos que terão retorno efetivo para a população, como os das áreas de segurança, transporte público de qualidade e alto rendimento, saneamento e meio ambiente.

Rio 2016: oportunidade de virada para o Rio

Regis Fichtner – As Olimpíadas de 2016 trazem uma oportunidade ímpar para o estado. Primeiro, pela série de investimentos que terão que ser feitos obrigatoriamente por conta de um prazo a cumprir que não pode ser postergado. Isso é bom porque cria a obrigatoriedade de execução desses projetos, que modificam não só a cidade, mas o estado inteiro. É uma grande virada para o Rio ter a possibilidade de realizar as Olimpíadas.

Estado investirá R$ 15 bilhões nas Olimpíadas

Regis Fichtner - O Estado vai investir, de recursos próprios, algo em torno de R$ 15 bilhões nos próximos anos para fazer as Olimpíadas. São investimentos que estão no Caderno Olímpico. Tentamos o máximo possível elencar no dossiê de candidatura projetos que tenham retorno efetivo para a população. Tudo que está sendo realizado é algo que a sociedade anseia há muito tempo, como a limpeza da Baía de Guanabara, da Bacia de Jacarepaguá, a segurança presente em todo o território do Rio, melhoria do transporte público. Tudo o que a população realmente precisa.

Principais legados dos Jogos Olímpicos

Rogerio SantanaRegis Fichtner – Nosso objetivo é que a população passe a usar um transporte de alto rendimento. O metrô, os trens suburbanos, barcas e os BRTs – que são as faixas exclusivas para transporte por ônibus – também farão parte do legado. Vamos criar um anel viário de alta performance na Região Metropolitana. Há ainda uma complementaridade nas ações do Estado e da Prefeitura, como o metrô da Barra que vai chegar ao Jardim Oceânico e se conectará com o BRT, obra da Prefeitura. Na Segurança, nosso compromisso é não ter em 2016 nenhuma região do estado controlada pelo poder paralelo. Já na área do Meio Ambiente, vamos limpar a Bacia de Jacarepaguá, que será o principal local de realização dos jogos, e todas as lagoas da Barra da Tijuca. E vamos continuar a urbanização de favelas por meio do PAC das Comunidades, e a Prefeitura com o Morar Carioca.

Obras estão dentro do prazo previsto

Regis Fichtner – Até agora, não temos nenhum projeto do nosso dossiê que esteja com problemas. Estão todos bem encaminhados e, é claro, que quanto mais se aproxima da realização dos jogos, mais cuidado a gente tem que ter. Fazemos um acompanhamento gerencial de cada intervenção de responsabilidade do Governo do Estado.

Rio 2016 será a autoafirmação do Brasil

Regis Fichtner –
Os jogos serão realizados no Rio, mas a autoafirmação é do país. Países que ganharam credibilidade internacional é que foram escolhidos para ser sede de Jogos Olímpicos. Não dá para a gente fazer feio. É a imagem do Brasil que está em jogo.

Você pode acompanhar esta e outras notícias pelo D.O. Digital.

Imprimir