Logotipo IOERJPágina Principal
sábado, 15 de agosto de 2020
Entrar
Usuário:

Senha:

Lembrar-se



Esqueceu a senha?

Notícias
Diário Oficial : Polo aquático ganha espaço no Complexo Caio Martins
em 29/12/2015 09:16:20 (647 leituras)



Uma nova modalidade tem feito sucesso no Complexo Esportivo Caio Martins, em Niterói, instalação administrada pela Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude: o polo aquático. O jogo é semelhante ao handebol, porém praticado em uma piscina. Os jogadores devem lançar a bola dentro da baliza adversária, que é defendida pela guarda-redes.

No Caio Martins, a modalidade começou em setembro, fruto de uma parceria do professor voluntário Diogo Cairo com o administrador do complexo, Wander Lobosco. Segundo eles, a ideia de levar o polo aquático ao local tem o intuito de popularizar o esporte, além de estabelecer uma contrapartida social, já que a maioria dos alunos é de comunidades carentes.

“É bonito ver o quanto o esporte pode desenvolver e mudar a vida das crianças. Elas saem do colégio e vêm treinar o polo aquático, deixando que a modalidade faça parte de suas vidas para que, quem sabe no futuro, possam participar de competições” afirmou Wander Lobosco.

A modalidade tem 25 alunos, com idades entre 12 a 17 anos. Para ingressar na aula, o interessado já precisa saber nadar, tendo em vista a profundidade da piscina e os movimentos do jogo. No entanto, também são oferecidos cursos de natação no Complexo Esportivo Caio Martins. No treino de polo aquático, o professor busca trabalhar de acordo com o nível de aprendizado de cada um, variando exercícios e movimentos que vão além do jogo em si.

“O esporte ajuda a criança a crescer de uma maneira saudável, fortalece o corpo, e, sobretudo, a mente. O polo aquático no Caio Martins tem um fator social muito importante, pois dá acesso às crianças menos favorecidas a um esporte que talvez elas nunca conheceriam” ressaltou Diogo.

Para o aluno Yuri Silva, de 12 anos, a modalidade é sinônimo de saúde e diversão. O jovem pratica o esporte há um mês e já vê resultados.

“Aprendi a nadar melhor, um jogo diferente e não sinto mais câimbras, algo que me incomodava muito. Quero continuar praticando o esporte” contou o jovem.

Leia a notícia no Diário Oficial
Imprimir