Logotipo IOERJPágina Principal
terça, 29 de setembro de 2020
Entrar
Usuário:

Senha:

Lembrar-se



Esqueceu a senha?

Notícias
Diário Oficial : Áreas com UPPs têm queda de 85,5% de homicídios
em 12/05/2015 09:58:09 (634 leituras)



Territórios pacificados pelo Governo do Rio registraram queda de 85,5% nos casos de homicídios decorrentes de intervenção policial, entre 2008 e 2014. O número de ocorrências caiu de 136 para 20. Outro importante resultado da política de pacificação, neste mesmo período, foi a expressiva redução na taxa de homicídios dolosos: foram 116 casos em 2008 e 40 casos em 2014 – o que representa uma queda de 65,5%.

Divulgados ontem pelo Instituto de Segurança Pública (ISP), os números integram o balanço inédito com indicadores da política de pacificação. O relatório apresenta a evolução das atividades policiais em áreas beneficiadas pelas UPPs (Unidades de Polícia Pacificadora), entre 2007 e 2014.

“O relatório mostra que o grande ganho dessa política é a redução da letalidade violenta nas comunidades pacificadas”, explicou a presidente do ISP, Joana Monteiro

Os dados das incidências criminais e administrativas referentes às UPPs, além do balanço inédito com os indicadores da política de pacificação, abrangeram 36 das 38 UPPs: Adeus/Baiana; Alemão; Andaraí; Arará/Mandela; Barreira do Vasco/Tuiuti; Batam; Borel; Caju; Camarista/Méier; Cidade de Deus; Cerro-Corá; Chapéu-Mangueira/Babilônia; Chatuba; Coroa/Fallet/Fogueteiro; Escondidinho/Prazeres; Fazendinha; Fé/Sereno; Formiga; Jacarezinho;Lins; Macacos; Mangueira; Manguinhos; Nova Brasília; Parque Proletário; Pavão-Pavãozinho; Providência; Rocinha; Salgueiro; Santa Marta; São Carlos; São João/Quieto/Matriz; Tabajaras; Turano; Vidigal; e Vila Cruzeiro.

As informações das UPPs são divulgadas após um ano completo da data de implementação de cada unidade. Para contribuir com a análise das incidências nas áreas consideradas, os dados de cada UPP são retroagidos no período de um ano antes do começo da implantação.

Os números são referentes apenas às ruas ou trechos que estão sob a responsabilidade da unidade de polícia. Os dados do estudo – feito com a Coordenadoria de Polícia Pacificadora – são referentes aos Registros de Ocorrências (RO), lavrados nas delegacias.


Leia a notícia no Diário Oficial

Imprimir