Logotipo IOERJPágina Principal
quinta, 1 de outubro de 2020
Entrar
Usuário:

Senha:

Lembrar-se



Esqueceu a senha?

Notícias
Diário Oficial : Usina de Biogás fluminense é apresentada na Europa
em 08/05/2015 09:32:56 (859 leituras)



A Usina Dois Arcos, da EcoMetano, que produz biogás purificado (biometano) a partir de resíduos sólidos urbanos de oito municípios da Região dos Lagos, é destaque da programação da II International Conference on Renewable Energy Gas Technology (Regatec) 2015. O evento que termina hoje, em Barcelona, na Espanha, reúne  especialistas e empreendedores na produção de biometano através de conversão microbiológica e termoquímica de biomassa e resíduos de todo o mundo.

A usina, que integra a carteira do programa Rio Capital da Energia, da Secretaria de Desenvolvimento Econômico,  é pioneira no Brasil na produção e no aproveitamento de biogás de aterro. As operações foram iniciadas em agosto de 2014 no Aterro Dois Arcos, em São Pedro da Aldeia.

O investimento foi de R$ 20 milhões, incluindo a instalação do aterro sanitário. A estimativa de produção é de cerca de 8 mil metros cúbicos de biometano/dia, chegando a 15 mil m³/dia em 2020. Atualmente, o aterro recebe aproximadamente 700 toneladas diárias de resíduos sólidos urbanos.

Em um primeiro momento, o biometano será fornecido em cilindros, como gás natural comprimido (GNC), para clientes industriais. Contudo, o projeto contempla, no futuro, a ligação da usina à rede de distribuição de CEG e CEG Rio, concessionárias de gás canalizado do Rio de Janeiro. Assim, o biogás purificado poderá chegar aos consumidores residenciais e comerciais, além de atender ao uso veicular, beneficiando uma população de 400 mil pessoas.

“O biogás é uma fonte de energia renovável, mais econômica, que gera benefícios ao meio ambiente e que pode incrementar a matriz energética nacional”, disse o gerente de Desenvolvimento de Negócios da EcoMetano, Marcio Schittini.


Estímulo do Estado

A Usina Dois Arcos foi beneficiada pela Política Estadual de Gás Natural Renovável, implementada pela Lei nº 6.361, de 19 de dezembro de 2012. O objetivo da legislação é fomentar a produção de gás a partir de resíduos urbanos, florestais, industriais e animais, tornando mandatória a aquisição desse biogás pelas distribuidoras de gás natural do estado.

Para Maria Paula Martins, coordenadora do Rio Capital da Energia, a lei é um importante estímulo para a implantação de projetos de aproveitamento de biogás. Seu maior êxito, contudo, é dar um sinal econômico positivo para solucionar o problema dos resíduos sólidos urbanos.

“O Governo do Rio de Janeiro criou uma política de incentivo para o gás natural renovável, estabelecendo que até 10% do combustível comercializado por CEG e CEG Rio sejam biogás, excluindo o consumo termelétrico. Acreditamos que o biometano é um importante estímulo para o aproveitamento econômico dos resíduos sólidos urbanos, um problema que aflige milhares de cidades brasileiras”, explicou Maria Paula.


Leia a notícia no Diário Oficial

Imprimir