Logotipo IOERJPágina Principal
terça, 29 de setembro de 2020
Entrar
Usuário:

Senha:

Lembrar-se



Esqueceu a senha?

Notícias
Diário Oficial : Cursos da Faetec formam novos empreendedores
em 28/04/2015 09:34:06 (720 leituras)


As qualificações da Faetec (Fundação de Apoio à Escola Técnica) estão ajudando os estudantes a ingressarem no mercado de trabalho e a abrirem seus próprios negócios. A fundação oferece cursos gratuitos em diversos níveis, entre eles, Técnico, Profissionalizante e Superior. 


Um dos exemplos do desenvolvimento de empreendedores em potencial está na trajetória profissional da ex-aluna do curso de Gestão de Tecnologia da Informação em Ambientes Educacionais, da Faculdade da Faetec no Rio de Janeiro, Débora Ribeiro Miranda.

A formanda apostou na experiência do marido, que há 16 anos trabalha na área de Transportes, para abrir em Nova Iorque, nos Estados Unidos, uma empresa de turismo e transportes.

“O curso da Faetec me ajudou muito a desenvolver esse projeto, que hoje é uma realidade”, explicou Débora.

 Para o presidente da Faetec, Wagner Victer, a instituição tem um papel importante na preparação destes estudantes. Os alunos saem das escolas prontos para atuarem em diversas áreas.

“Todas as pessoas que têm o desejo de empreender precisam de oportunidades e de atualização. Só o fato de elas se dedicarem aos estudos de uma qualificação já faz com que fiquem mais próximas de alcançarem o objetivo esperado e possam ser bem-sucedidas”,  afirmou o presidente.

 

Sonho realizado

 

Outra aluna que também apostou no aprendizado que recebeu na Faetec, por meio dos cursos de Corte e Costura, Moda Praia e Modelagem, foi Edna Goulart, de 57 anos, que criou a loja feminina Nega Atrevida, sucesso na comunidade da Cidade de Deus, em Jacarepaguá, onde mora.

“Sou apaixonada pelo meu trabalho e gosto de participar de todas as etapas da confecção, desde a criação até o acabamento das peças. A Faetec me mostrou o caminho da profissionalização e fez com que me aperfeiçoasse nesse ofício, que é uma tradição de família. A minha mãe costurava. Fico feliz de hoje poder empregar colaboradores da comunidade e ver o quanto as pessoas se identificam com a marca”, explicou a costureira.

 

Leia a matéria no Diário Oficial
Imprimir