Logotipo IOERJPágina Principal
quarta, 26 de junho de 2019
Entrar
Usuário:

Senha:

Lembrar-se



Esqueceu a senha?

Cadastre-se agora.
Notícias
Diário Oficial : Projetos para preservar a água potável
em 23/09/2011 11:23:02 (2284 leituras)



O Governador do Estado, por meio da Secretaria de Agricultura e Pecuária e da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae), desenvolve programas com o objetivo de preservar um dos bens mais preciosos da humanidade: a água potável. As ações se dividem em duas frentes: a proteção de nascentes e o reflorestamento de margens de rios.

O Programa Rio Rural, da Secretaria e Pecuária, lançou em 2007 a campanha Rio Rural 2016 – Água Limpa para o Rio Olímpico. A ação visa melhorar as condições de nascentes de cursos d’água até as Olimpíadas que serão realizadas no estado. Até agora, o programa já protegeu 374 nascentes com apoio de agricultores familiares, prefeituras, empresas privadas, comitês de bacias hidrográficas e outros parceiros nacionais e internacionais. A meta é proteger 2.016 nascentes até os Jogos.

Matas fechadas evitam poluição e assoreamento

- Os recursos hídricos gerados nas nascentes das micro-bacias hidrográficas formam os rios que abastecem as grandes cidades fluminenses, contribuindo para o bem-estar de toda a população – afirmou o secretário de Agricultura, Christino Áureo.

O programa, que já emprega US$ 40 milhões do Banco Mundial e vai receber mais um aporte de US$ 100 milhões nos próximos dois anos, também estimula um conjunto de práticas sustentáveis nas áreas próximas às nascentes.

Agricultores recebem recursos para plantar espécies nativas de Mata Atlântica e para recompor a vegetação das margens dos cursos d’água. As matas fechadas evitam a invasão de animais, a poluição e o assoreamento, o que contribui para a regularização dos fluxos de água nos rios e favorece a biodiversidade.

Além das 374 nascentes, o Rio Rural já protegeu 1.240 hectares de matas ciliares e outras florestas nativas. A expectativa é que o volume de água produzido pelas 2.016 nascentes a serem protegidas seja de 6,5 milhões de litros, o que equivale a mais de 2.600 piscinas olímpicas cheias.

Cedae mantém viveiros de mudas

Outra ação para melhorar a produção de água potável é o reflorestamento das margens de rios. A Cedae, por meio do programa Replantando Vida, já plantou mais de um milhão de mudas, a maioria na bacia do Rio Macacu, no Leste da Região Metropolitana. Em 2012, o foco será o Rio Guandu.

Os programas de reflorestamento se abastecem de mudas de mais de 100 espécies de árvores nativas de Mata Atlântica cultivadas em três viveiros da empresa. A Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), de Seropédica, oferece assistência técnica, fornece as sementes e forma a mão de obra empregada no cultivo dos viveiros e no plantio e na manutenção das mudas.

Imprimir