Logotipo IOERJPágina Principal
terça, 22 de setembro de 2020
Entrar
Usuário:

Senha:

Lembrar-se



Esqueceu a senha?

Notícias
Diário Oficial : Série Rio De Braços Aberto: Estrada-parque Paraty-Cunha começa a ser pavimentada
em 11/02/2014 09:34:50 (1019 leituras)



Os 25 anos de embargos ambientais chegaram ao fim. Importante ligação entre o Rio de Janeiro e São Paulo pelo Parque Nacional da Serra da Bocaina, a estrada-parque Paraty-Cunha (RJ-165) começou a ganhar os primeiros blocos de concreto que vão melhorar as condições de tráfego de seus 9,4 quilômetros. Com custo de R$ 84 milhões – divididos entre o Governo do Estado e a Eletronucear –, a obra também conta com plano de modelagem custeado pelo Prodetur (Programa de Desenvolvimento ao Turismo).

Viagem em menos tempo.

Executadas pelo DER (Departamento de Estradas de Rodagem), as obras de construção da RJ-165 abrangem drenagem profunda e superficial, contenção de encostas, colocação de caixas coletoras e construção de cinco zoopassagens para trânsito das mais de 30 espécies de animais catalogadas ao longo do trecho. Mais de 200 operários estão nas frentes de trabalho de diversos trechos do percurso.

Embora a estrada ainda contenha pontos de tráfego difícil, o ritmo das obras e a melhoria do percurso próximo a São Paulo já têm sido suficientes para aumentar o fluxo de carros. Motoristas como o pedreiro Willian Sampaio, de 40 anos, não se importam de esperar as interdições que ocorrem diante da chegada de materiais. Morador de Cunha, o pedreiro trabalha em Paraty e utiliza constantemente a estrada para economizar cerca de 200 quilômetros, tempo e combustível.

“Para chegar a Paraty por Ubatuba, pegaria 210 quilômetros e levaria umas 4 horas porque tem sempre engarrafamento. Pela Paraty-Cunha, levo apenas uma hora. Mesmo com as interdições e condições da estrada, vale a pena porque economizo em tempo e dinheiro” afirmou Sampaio.

Exigências do Ibama cumpridas.

Por cortar o Parque Nacional da Serra da Bocaina, a execução das obras cumpriu exigências do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente), como a colocação de blocos de concreto como piso para desestimular o excesso de velocidade, evitar acidentes e não afetar a impermeabilização das águas da chuva.

“Esta estrada é simbólica. Foi construída com preocupação de não causar impacto negativo no meio ambiente. Ela é referência e servirá de modelo para uma estrada-parque semelhante que será construída em Foz do Iguaçu. Será copiada por outros estados e países também” explicou o secretário de Turismo, Ronald Ázaro.

Morador de Paraty há 56 anos, o comerciante Aroldo Pereira da Silva, de 56, anseia pelo momento que os operários vão finalizar a pavimentação.

“Esperamos muito tempo por esta estrada. Mal dá para acreditar que agora está saindo do papel. Acredito que o movimento no meu restaurante vá aumentar” disse Silva.


Leia a matéria no Diário Oficial

Imprimir