Logotipo IOERJPágina Principal
domingo, 27 de setembro de 2020
Entrar
Usuário:

Senha:

Lembrar-se



Esqueceu a senha?

Notícias
Diário Oficial : Empreendedores de UPPs têm taxa de inadimplência cinco vezes menor
em 19/11/2013 09:51:30 (730 leituras)



A AgeRio (Agência Estadual de Fomento) comemora o baixo índice de inadimplência dos microempreendedores de comunidades pacificadas. A agência registra apenas 0,68% de atraso ou falta de pagamento entre os cerca de 1,6 mil moradores que tomaram empréstimo desde o fim do ano passado. Já o Indicador de Inadimplência do Consumidor, medido pela Serasa Experian, subiu 3,7% em outubro, em comparação ao mês anterior.

"Para as pessoas que têm menor poder aquisitivo, o nome limpo é o maior patrimônio. Elas se preocupam em não ficar devendo. Sempre que ganham algum dinheiro extra, como 13° salário, quitam as dívidas", disse o presidente daAgeRio, Domingos Vargas.

Além do cuidado em pagar as contas em dia, o executivo explica que o modelo de crédito orientado da AgeRio contribui para a baixa inadimplência. Em todos os financiamentos, os moradores recebem noções de educação financeira para adequar as necessidades do negócio ao orçamento. Juros de 3% ao ano, carência de até três meses para começar a pagar em até 24 vezes, completam os elementos para o sucesso das operações.

Todos os benefícios oferecidos pela AgeRio contribuíram para que o microempreendedor João Silva, de 37 anos, ampliasse os negócios. Em dezembro do ano passado, ele conseguiu R$ 5 mil para investir na mercearia que abriu no Morro da Coroa. Por pagar em dia e ter perspectivas de crescimento, conseguiu renovar o empréstimo.

"A AgeRio me deu condições que outros bancos não dariam. Eles me emprestaram R$ 5 mil e mais R$ 11 mil antes do fim do prazo. Comprei uma carga grande de cestas básicas, mais armários e mercadorias. Ganhei liberdade de negócio, porque antes eu não tinha estoque", disse João.

O crédito de João Henrique está entre as 1.601 operações da AgeRio, que representam um valor superior a R$ 8,1 milhões. A agência concede financiamentos entre R$ 300 e R$ 15 mil e mantém um ticket médio de R$ 5 mil. Até o fim do ano, a expectativa é chegar a dois mil empreendedores.


Leia a matéria no Diário Oficial

Imprimir