Logotipo IOERJPágina Principal
sábado, 11 de julho de 2020
Entrar
Usuário:

Senha:

Lembrar-se



Esqueceu a senha?

Notícias
Diário Oficial : Salgueiro comemora 3 anos de UPP e queda de ocorrências criminais
em 18/09/2013 09:29:38 (864 leituras)


A Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Salgueiro, na Tijuca, completou ontem três anos de atuação comemorando a queda nos índices de violência da região. Segundo o Núcleo de Pesquisa em Justiça Criminal e Segurança Pública, em 2012 houve apenas quatro registros de roubos e 19 ocorrências de furto.

- Aqui, estamos vendo o resultado da pacificação -, afirmou o comandante da UPP, capitão Jefferson Silva Odilon.

Para a moradora Lúcia Macedo dos Santos, outro benefício da instalação da Unidade de Polícia Pacificadora no morro, onde vive há 69 anos, é a realização de projetos sociais.

- Estou fazendo ginástica há um ano. É muito bom, porque fiz mais amizades. Antes eu ficava trancada em casa, isolada com medo da violência na comunidade -, disse Lúcia.

A programação para celebrar a pacificação do Salgueiro – que termina na próxima sexta-feira (20/9) com uma confraternização – foi iniciada com atividades culturais e um café da manhã que reuniu parte dos 140 policiais militares da unidade e dos 4 mil moradores da comunidade.

Museu sobe o morro.

Para comemorar os três anos de pacificação, o Morro do Salgueiro recebe o projeto Museu Itinerante. A ação, realizada pela Secretaria de Segurança em parceria com o Museu Histórico Nacional, expõe peças históricas na comunidade até a próxima sexta-feira (20/9).

No Salgueiro, a mostra fica em cartaz em um estabelecimento comercial, onde acontece o evento Quintas Poéticas, com recitais e homenagens a escritores da comunidade e nomes consagrados da literatura brasileira.

Na segunda-feira (16/9), crianças da comunidade tiveram a oportunidade de conhecer um pouco do grande acervo da exposição O Império e a República. O acervo conta com moedas e cédulas da época, gravuras e textos.

Para os idealizadores do projeto, é uma oportunidade de levar às áreas pacificadas ações culturais importantes.

Mais próximos da história.

- As comunidades entram em contato conosco e nós viabilizamos tudo. Muitas dessas pessoas nem sempre tiveram acesso a um evento como este -, explicou a coordenadora da Superintendência de Prevenção da Secretaria de Segurança, Tatiane Curi.

O estudante Adriano Costa Netto, de 8 anos, visitou a exposição com seus colegas de colégio e aprovou a iniciativa.

- Gostei de tudo -, disse o jovem.

Leia a matéria no Diário Oficial.

Imprimir