Logotipo IOERJPágina Principal
terça, 14 de julho de 2020
Entrar
Usuário:

Senha:

Lembrar-se



Esqueceu a senha?

Notícias
Diário Oficial : Instituto de endocrinologia trata crianças acima do peso
em 02/09/2013 11:25:52 (926 leituras)


 O Instituto Estadual de Diabetes e Endocrinologia Luiz Capriglione (Iede), no centro do Rio, que oferece tratamento para crianças acima do peso, promoveu, na última semana, um evento para esclarecer dúvidas sobre o bullying escolar em jovens obesos. No laboratório de obesidade infanto-juvenil da unidade de saúde, as queixas de pais e mães sobre o assunto são constantes.

- Ouço frequentemente os responsáveis pelos pacientes reclamando sobre a falta de compreensão não somente dos coleguinhas, mas também da direção das escolas sobre o problema de peso de seus filhos. Eles relatam que suas famílias ficam estigmatizadas no meio escolar e isso acaba gerando problemas de autoestima nas crianças -, disse a coordenadora do ambulatório infanto-juvenil do Iede, Carmen Assumpção. 

Presença dos pais é fundamental.

Segundo dados do Ministério da Saúde, três em cada 10 crianças brasileiras em idade escolar são obesas. Colesterol alto e tendência a diabetes, antes problemas relacionados a adultos, já são frequentes em crianças. Por isso, o comprometimento e a presença dos responsáveis no programa de internação são fundamentais para o sucesso da iniciativa. 

- Cerca de 80% dos pais das crianças que internamos também são obesos. Os responsáveis precisam entender que os filhos são espelhos deles e que escolhas erradas de alimentos estão intoxicando e criando doenças nos filhos -, explicou a médica.

Criado em 2009, o serviço atende crianças obesas ou com sobrepeso, trabalhando para modificar o estilo de vida dos jovens. A finalidade é que o paciente perca entre 30 e 40% do seu peso.

- As consultas acontecem, em média, a cada dois meses e são feitas por uma equipe multidisciplinar, além de consultas com o serviço social. Fazemos ainda reuniões com os pais para orientá-los sobre o que deve ser comprado no mercado, sobre a merenda escolar, estresse e outros assuntos relacionados -, afirmou Carmen.

Leia a matéria no Diário Oficial.

Imprimir