Logotipo IOERJPágina Principal
quinta, 1 de outubro de 2020
Entrar
Usuário:

Senha:

Lembrar-se



Esqueceu a senha?

Notícias
Diário Oficial : Estado se consolida como referência em traumatologia
em 22/05/2013 09:55:59 (905 leituras)




Depois de 20 anos, o aposentado Adenício Fonseca voltará a caminhar sem sentir fortes dores nos joelhos. A nova qualidade de vida é resultado da bem-sucedida cirurgia realizada pela premiada equipe do Hospital de Traumatologia e Ortopedia Dona Lindu, em Paraíba do Sul, que junto com o Centro de Trauma do Idoso (Ceti), na Tijuca, consolida o Estado do Rio como referência nacional em cirurgias ortopédicas e no atendimento à terceira idade.

- Machuquei os joelhos jogando futebol e desde então sofro com dores constantes que atrapalham meu dia a dia. Ficava sem fazer atividades básicas como caminhar pelo quintal ou passear por um longo período de tempo - disse o morador de Barra Mansa, de 72 anos.

Em três anos de funcionamento, o Hospital Dona Lindu tem se destacado na humanização do atendimento de média e alta complexidades: são mais de 110 mil cirurgias, consultas e exames realizados e 97% dos pacientes satisfeitos. No ano passado, a unidade ampliou o serviço e organizou mutirões de cirurgias de joelho e de ombro. A captação e os transplantes de tecido músculo-esquelético também foram destaques.

O número de casos de sucesso que reforçam a excelência dos serviços de trauma da rede também é expressivo no Centro de Trauma do Idoso, inaugurado em outubro de 2012 no Hospital São Francisco de Assis. Em apenas sete meses, a unidade atingiu a marca de mais de 550 cirurgias realizadas em pacientes acima de 60 anos, que precisam operar em até 48 horas para evitar graves sequelas.

Rapidez no atendimento foi fundamental

Aos 81 anos, o aposentado Milton Rocha é um dos pacientes atendidos pelo centro, que voltará a sua rotina após se recuperar de uma fratura no fêmur proximal causada por uma queda. A rapidez no atendimento e na realização da cirurgia foi fundamental para que o idoso não tivesse os movimentos comprometidos, o que poderia causar doenças como pneumonia. Depois de receber alta, o aposentado continuará a ser acompanhado pela equipe da unidade por até três meses.

- Estava me levantando do sofá e escorreguei. Para uma pessoa de idade, essa queda é quase fatal. Por isso, a agilidade da equipe do Centro de Trauma do Idoso foi essencial. Salvaram a minha vida - afirmou Milton, morador de Nova Iguaçu.

Leia a matéria no Diário Oficial.

Imprimir