Logotipo IOERJPágina Principal
quinta, 1 de outubro de 2020
Entrar
Usuário:

Senha:

Lembrar-se



Esqueceu a senha?

Notícias
Diário Oficial : Serviços especializados mudam a rotina de pacientes no Rio
em 21/05/2013 09:53:56 (1050 leituras)


Mais de 380 mil procedimentos entre cirurgias de redução de estômago, transplantes, reimplantes e exames de imagem. Este é o resultado de projetos e serviços de saúde especializados e de excelência implantados pelo Estado nos últimos quatro anos. São histórias de sucesso como o do aposentado Romeu de Jesus, que recebeu um novo fígado através do Programa de Transplantes (PET), do carpinteiro Raimundo Santos, que está recuperando os movimentos do dedo graças ao S.O.S Reimplante, e da fisioterapeuta Juliana Portelada, beneficiada pela cirurgia bariátrica.

Excelência em cirurgias de reimplante e transplante

Nos últimos três anos, o Rio registrou o maior avanço em doação de órgãos, chegando ao segundo lugar no ranking nacional, com mais de 900 transplantes. Desde 2010, foram realizados transplantes de córneas, rins, fígados e corações através de órgãos captados pelo PET. Em fevereiro, o Centro Estadual de Transplantes, instalado no Hospital São Francisco de Assis, na Tijuca, reforçou o atendimento. O aposentado Romeu de Jesus, de 57 anos, foi beneficiado pelo serviço.

- Foi um alívio receber um novo fígado - disse Romeu.

A equipe do S.O.S Reimplante, do Hospital Adão Pereira Nunes, em Duque de Caxias, já realizou 320 procedimentos. O carpinteiro Raimundo Santos teve o polegar reimplantado e recuperou os movimentos da mão.

- A cirurgia foi maravilhosa. Poderei voltar à rotina - afirmou Raimundo.

Operações bariátricas e exames de imagem

Cirurgia plástica reparadora, novas instalações e equipamentos de última geração estão entre os novos reforços do programa de Cirurgia Bariátrica, que funciona no Hospital Carlos Chagas, em Marechal Hermes. Até agora, 545 obesos mórbidos foram atendidos.

- Os números serão ainda mais positivos quando implementarmos novidades. A partir de junho, uma equipe irá percorrer os municípios fluminenses, treinando profissionais para que saibam atender os pacientes obesos - explicou o coordenador do programa, Cid Pitombo.

Com trinta e oito quilos a menos, a fisioterapeuta Juliana Portelada, de 32 anos, realizou o sonho de ser mãe e de abrir o próprio negócio.

- Engravidar depois de perder peso foi uma surpresa. Aproveitei a autoestima e abri uma clínica de pilates e estética - afirmou Juliana, que chegou a pesar 135 quilos.

Além dos programas especializados, o Estado tem investido no diagnóstico avançado por imagem através do Rio Imagem (Centro de Diagnóstico por Imagem)  e de unidades de móveis. 

Equipamentos de qualidade

Com estes serviços, a Secretaria de Saúde contabilizou 380 mil exames realizados no Rio Imagem e nos serviços móveis, que visitaram mais de 50 cidades do Rio de Janeiro.

- É incrível ter uma estrutura de primeiro mundo para fazer um exame complexo, como a tomografia - disse o vendedor Celso Oliveira, de 55 anos.

Leia a matéria no Diário Oficial.

Imprimir