Logotipo IOERJPágina Principal
domingo, 27 de setembro de 2020
Entrar
Usuário:

Senha:

Lembrar-se



Esqueceu a senha?

Notícias
Diário Oficial : Rede estadual registra aumento de mamografias
em 21/05/2013 09:29:03 (979 leituras)


Para controlar o número de ocorrências de câncer de mama no estado, a Secretaria de Saúde está estimulando a realização de exames de mamografia. A intenção é conter a doença no início, com o diagnóstico precoce. De janeiro a abril de 2013, foram realizados mais de 23 mil mamografias na rede estadual – 16.527  só no Rio Imagem. O número é 56% maior do que o do mesmo período no ano passado, quando foram feitos 15.218. Em dois anos de funcionamento, a unidade já fez mais de 46 mil exames do tipo.

- A mamografia é um exame de rastreio. Com o diagnóstico precoce, é possível tratar a doença de forma conservadora, evitando-se procedimentos mais radicais como a mastectomia - explicou a subsecretária de Unidades Próprias, Ana Neves.

Atualmente, há seis mamógrafos em operação na rede estadual: quatro no Rio Imagem, no centro da capital, e dois no Hospital da Mulher, em São João de Meriti. Além do aumento da oferta de aparelhos, o que também tem estimulado mais mulheres a fazer o exame é o atendimento humanizado, em espaços criados para gerar conforto e segurança para as pacientes.

- Temos muitos casos de mulheres que, ao se sentirem confortáveis, incentivam amigas a realizar o exame - disse Fabiani Gil, coordenadora de Humanização da Secretaria de Saúde.

Faixa etária ampliada.

A Secretaria de Saúde ampliou a faixa etária recomendada pelo Ministério da Saúde para a realização de mamografias, incentivando o exame bienal a partir dos 40 anos para pacientes com lesões não- palpáveis, 10 anos a menos do que a idade sugerida pelo ministério. Para mulheres com histórico familiar, a recomendação é que a mamografia seja feita anualmente a partir dos 35 anos.

Além da faixa etária, outros fatores estão relacionados ao surgimento da doença, como hereditariedade, alta densidade da mama e problemas associados ao ciclo reprodutivo da mulher. Primeira menstruação precoce, menopausa tardia, primeira gravidez após os 30 anos ou não ter filhos também são perfis que merecem atenção especial.

Leia a matéria no Diário Oficial.

Imprimir