Logotipo IOERJPágina Principal
quinta, 1 de outubro de 2020
Entrar
Usuário:

Senha:

Lembrar-se



Esqueceu a senha?

Notícias
Diário Oficial : Indústria náutica do Rio se consolida como líder nacional
em 20/05/2013 09:19:15 (890 leituras)


Privilegiado Privilegiado pelas belezas do seu litoral, o Rio se consolidou como líder da indústria náutica do país. Como prova do aquecimento, a última edição do Rio Boat Show superou em R$ 6 milhões a anterior, gerando R$ 276 milhões em negócios. Além disso, o estado concentra 24,2% da infraestrutura de apoio e acaba sendo o responsável por 35% dos empregos diretos do setor, à frente de São Paulo (17,1%) e Bahia (16%).

Redução de ICMS de 25% para 7%

O reaquecimento da indústria náutica e a posição de vanguarda conquistada pelo Rio são resultados da atuação do Fórum Náutico Fluminense, criado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico, em parceria com empresas da área. Entre os benefícios que impulsionaram o setor está a redução de 25% para 7% do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) para fabricação de embarcações de lazer no estado.

- A indústria náutica tem recebido toda atenção do governo, que desenvolveu incentivos específicos - afirmou Bruno Guaranys, diretor de Novos Negócios da Codin (Companhia de Desenvolvimento Industrial do Estado do Rio de Janeiro).

Crescimento a taxas de 15% ao ano

Se for comparada à área de óleo e gás, a indústria náutica gera sete vezes mais empregos a cada dólar investido. Por isso, o estado assumiu a liderança na geração de postos de trabalho, com mais de 11 mil vagas diretas ou indiretas.

- Desde a redução do ICMS, o setor tem crescido a taxas de 15% ao ano. Possibilitamos o crescimento de empresas que já estavam presentes no estado e duas novas vieram, a Intermarine e a Beneteau, instaladas em Angra dos Reis, o que foi uma grande conquista para o Rio de Janeiro - disse Guaranys.

As pesquisas já atestam os resultados do incremento no setor. Segundo dados do estudo “Indústria Náutica: 

Fatos e Números 2012”, desenvolvido pela Associação Brasileira dos Construtores de Barcos e Seus Implementos (Acobar), a Região Sudeste concentra 53% da frota nacional de lanchas e 48% dos veleiros, sendo que o Rio de Janeiro, sozinho, detém 25% da frota de embarcações acima de 16 pés.

Leia a matéria no Diário Oficial.

Imprimir